Monday, September 08, 2014

revolução 2020.5

.
Ex(a)s Senhore(a)s;

Que se lixe a merda enfadonha do politicamente correcto ...

-) Quando se fala de negócios, eu costumo fazer uma distinção clara entre as pessoas mais velhas do que eu, e as pessoas mais novas do que eu.
Muitas das pessoas mais velhas do que eu nem sequer foram à escola, e das que foram muitas delas nem sequer completaram a 4ª Classe, portanto, para a esmagadora maioria delas o Mundo dos Negócios é um autêntico bicho de sete cabeças.
O que me preocupa mesmo são as pessoas mais novas do que eu, porque essas são o futuro do país, e eu vejo putos a sair das faculdades com mentalidades completamente retrógradas.
ISSO É QUE É PREOCUPANTE!!!
Jovens consumistas compulsivos que por comprarem quase todos os novos modelos de telemóveis  já acham que são muito avançados para a sua época!
Mas a esmagadora maioria deles não faz a mínima ideia do que seja a verdadeira e genuína INOVAÇÃO!
Não me lixem ...
Estamos mesmo a falar de mentalidades sem queda para os negócios e para a criação de riqueza!!!
ASSIM NÃO VAMOS LÁ!!!

Mas enfim, no meio de tanta merda, mais uma pequena boa noticia ...
VEJAM O DOCUMENTO EM ANEXO!
 
-) Basicamente, no que nos interessa, o documento em anexo compila dados e estuda a implementação de um pomar de maracujás ( Vale do Ave ), com vista ao apuramento da sua eventual viabilidade económica.
Ele há coisas mesmo estranhas e CONTRA-senso-comum: no Norte de Portugal predominam as pequenas explorações enquanto no Ribatejo e Alentejo predominam as grandes explorações, e ultimamente no Algarve e Costa alentejana têm aparecido médias-grandes empresas ligadas principalmente aos frutos vermelhos.
Quem tem mais meios são as grandes explorações e as grandes empresas, mas neste caso a Genuína Inovação aparece numa zona de pequenas explorações com poucos meios. 
COMO É ISTO POSSIVEL???
A CAP TEM SIDO A MAIOR FORÇA DE BLOQUEIO À GENUÍNA INOVAÇÃO NA AGRICULTURA PORTUGUESA!!!
 
Voltemos às questões próprias do cultivo do maracujá em Portugal ...
 
-) O estudo parte de uma produção base de 7500 Kg/ha/ano e de um preço de referência de 2,8 €/kg, para concluir a favor da viabilidade económica da cultura no Vale do Ave. 
Antes de me debruçar sobre estes 2 dados fundamentais para o estudo de qualquer cultivo, eu queria ainda detalhar mais algumas informações de caracter genérico.
Em relação à produção dos frutos propriamente dita, as culturas podem dividir-se em 2 grupos distintos:
- As culturas temperadas nossas conhecidas como as maçãs e as peras em que a colheita está bastante concentrada numa determinada época do ano;
- As culturas como o maracujá que no seu habitat natural produzem ao longo de todo o ano.
Ora acontece que em Portugal o maracujá roxo não pode produzir ao longo de todo o ano porque os Invernos são muito frios, mas atenção que quando eu digo que não pode produzir nos meses mais frios me estou a referir a produções com alguma quantidade e qualidade, porque as plantas até eventualmente podem produzir alguns frutos no Inverno, só que são poucos e  de péssima qualidade.
 
Vou agora passar à produção de Maracujás Roxos no Ribatejo comparativamente ao Vale do Ave ...
Vou partir do preço base utilizado pela autora: 2,8 €/Kg. 
 
-) No geral, as geadas na zona Norte, neste caso em Vale do Ave, prolongam-se por mais tempo/meses do que no Centro-Sul, aqui no Ribatejo as geadas mais fortes estão quase sempre concentradas nos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro.
Aqui muito raramente cai geada em Novembro ou Março, e quando tal acontece são geadas fracas.
Portanto, aqui existem mais meses de clima Sub-Tropical e Tropical favorável à produção dos frutos ao ar livre, portanto é ABSOLUTAMENTE LEGITIMO supor que as produções no Ribatejo, em circunstâncias normais, serão maiores do que as do Vale do Ave: eu apontaria para 10000 Kg/ha/ano.
 
Agora reparem noutra coisa ...
 
-) Mesmo para os cultivos de frutos temperados completamente adaptados ao nosso clima ( maçãs, peras, etc ), um Inverno muito rigoroso pode comprometer, pelo menos parcialmente, a produção na Primavera/Verão seguintes, conforme os casos da época de colheita. Acontece que os maracujás não são originários de climas temperados com Invernos relativamente frios, no seu habitat natural não têm temperaturas tão baixas, por isso ao longo do seu processo evolutivo não desenvolveram estratégias de sobrevivência a temperaturas baixas como a dormência ( própria das fruteiras temperadas ), por isso mesmo os maracujás ao ar livre ficam muito mais vulneráveis do que as fruteiras temperadas, podendo facilmente comprometer-se assim a produção seguinte. 
As plantas do maracujá roxo não morrem no Inverno mas ficam fragilizadas e com sequelas que não lhes permite expressar o seu máximo potencial na produção seguinte.
É POR ISSO MESMO QUE EU SOU UM DEFENSOR ACÉRRIMO DO CULTIVO ANUAL DOS FRUTOS EXÓTICOS E/OU TROPICAIS, INCLUÍNDO O MARACUJÁ ROXO, EM PORTUGAL!
OBVIAMENTE QUE ESTOU A FALAR DAS FRUTEIRAS COM CICLOS CURTOS E QUE COMEÇAM A PRODUZIR ENTRE OS 7-12 MESES DEPOIS DE PLANTADAS!!! 
 
-) No cultivo anual, as plantas do maracujá roxo no Inverno ficam em estufas protegidas dos elementos, e como ainda não atingiram a fase adulta podem ficar bem juntinhas umas das outras podendo atingir em estufa densidades da ordem das 50000 plantas por hectare ou ainda mais, talvez 70000-80000 pls/ha.
Depois quando passar a época das geadas podemos então plantar as plantas ( passe a redundância ) no seu local definitivo de produção ao ar livre. Um hectare de estufa chega para fornecer 25-40 hectares de plantações ao ar livre com material vegetativo de qualidade.
Se as plantas ( perenes ) ficassem ao ar livre chegavam à Primavera frágeis e com sequelas, com o cultivo anual as plantas chegam à primavera sãs, fortes e vigorosas de forma a poderem dar boas produções.
Com esta técnica simples eu prevejo conseguir aqui no Ribatejo 12500 Kg/ha/ano!
 
-) A produção perene ao ar livre ainda tem outro problema: além do frio ( geadas e neve ), os nossos Invernos também podem ser muito chuvosos, o que também não é nada bom para as plantas porque provável/certamente acabarão por ter alguns problemas relacionados com a asfixia radicular.
Finalizando assim as contas aqui para o Ribatejo ...
Eu espero conseguir 15000 Kg/ha/ano para o cultivo anual do maracujá roxo!
 
-) Reparem bem no seguinte: aqui no Ribatejo nós temos 6 meses por ano de clima puramente Sub-Tropical e Tropical: Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro e Outubro.
Os melhores produtores no Brasil conseguem mais de 30 toneladas por hectare e por ano com 12 meses de clima favorável, portanto é perfeitamente natural que eu pense obter 15 ton/ha/ano aqui no Ribatejo com 6 meses favoráveis e fazendo o cultivo anual.
 
Chego ao mesmo resultado de 2 maneiras completamente distintas ...
COINCIDÊNCIAS???
A sorte e este tipo de coincidências primeiro têm que ser procuradas e depois encontradas com muita determinação e trabalho! 
E, já agora, um convencido como eu não podia deixar passar esta ocasião de oiro ...
DETERMINAÇÃO, TRABALHO ( MUITAS, INTENSAS E INTERMINÁVEIS PESQUISAS! ) ... E! ... ALGUM ENGENHO!!!
O RESTO É CONVERSA DE MENTALIDADES RETRÓGRADAS QUE NÃO FAZEM A MÍNIMA IDEIA DO QUE SEJA A GENUÍNA INOVAÇÃO!!!
 
 
Com os melhores cumprimentos,
Vitor Alexandre Ferreira Monteiro.
.
 

6 Comments:

At 11:00 AM, Blogger Unknown said...

Ola sr. Vitor gostava de saber se realmente realizou o projeto dos maracujas no ribatejo.
Obrigado
Joao Fernandes
Joaornfernandes@gmail.com

 
At 3:32 AM, Blogger Mike Lopes said...

Bom dia.
Seria possível agendar uma reunião para trocarmos umas impressões sobre o cultivo entre outros.
Obrigado
Cumprimentos,

Mike Lopes 918599455

 
At 1:17 PM, Blogger Unknown said...

Boa noite,

E eu apenas aplicava mais uma técnica a todo o seu processo.
Caso queira trocar algumas impressões deixo o meu contacto abaixo.

Rui Reis 912362856

 
At 1:17 PM, Blogger Unknown said...

Boa noite,

E eu apenas aplicava mais uma técnica a todo o seu processo.
Caso queira trocar algumas impressões deixo o meu contacto abaixo.

Rui Reis 912362856

 
At 5:49 PM, Blogger Duarte said...

Boa noite como é que posso entrar em contacto consigo Vitor Alexandre Ferreira Monteiro?
alguém me consegue ajudar?

 
At 5:50 PM, Blogger Duarte said...

Boa noite como é que posso entrar em contacto consigo Vitor Alexandre Ferreira Monteiro?
alguém me consegue ajudar?

 

Post a Comment

<< Home